Capa - Goiânia recebe etapa dupla em dois circuitos diferentes no mesmo fim de semana

Goiânia recebe etapa dupla em dois circuitos diferentes no mesmo fim de semana

15 set 2021

Depois de três anos, a Stock Car voltou a realizar corridas em um circuito de anel externo. Foi em Curitiba (PR), no último dia 8 de agosto, com vitórias de Rafael Suzuki e Átila Abreu. O sucesso do formato fez a organização da principal categoria do automobilismo brasileiro aproveitar uma mudança no calendário e anunciar que o encontro deste final de semana em Goiânia (GO), válido pelas etapas de número 8 e 9, acontecerão nos dois circuitos do Autódromo Internacional Ayrton Senna.

No sábado (18), a oitava etapa acontece nos tradicionais 3.835 metros, quando no domingo (19) a nona de 12 etapas será disputada no traçado do anel externo, de 2.695 metros, e que até então havia sido o último “oval” a receber uma prova da Stock Car, em 2018 na Corrida do Milhão, com vitória de Rubens Barrichello – que é, inclusive, o maior vencedor de Goiânia, com cinco triunfos.

Será a quarta vez que o circuito externo de Goiânia recebe uma etapa da Stock Car. O domingo representará a sétima e oitava corridas da história do traçado. Na primeira, em 1993, a vitória foi da dupla formada por Ingo Hoffmann e Ângelo Giombelli; depois, em 1999, Chico Serra venceu duas vezes e no ano seguinte, as vitórias ficaram com Chico Serra e Ingo Hoffmann. E em 2018, vitória de Rubens Barrichello.

O circuito tradicional, de 3.835 metros, tem como principal ponto de frenagem a curva 3, na qual os carros contornam as duas primeiras curvas em alta velocidade e se aproximam para a frenagem a cerca de 215 km/h. Na freada, o sistema reduz a velocidade para 90 km/h em apenas 145 metros. Uma redução de 125 km/h feita em somente três segundos, o que gera uma desaceleração de 1,5 G.

No traçado do anel externo, de três curvas e 2.695 metros, os freios são acionados nas curvas 1 e 3, e a freada mais forte deste circuito em específico é a da terceira curva, também chamada de curva zero, e que leva à reta principal. Nela, os carros se aproximam em velocidades entre 250 e 255 km/h; a frenagem acontece a pouco mais de 200 metros da curva e o piloto permanece freando forte por menos de cinco segundos, reduzindo a velocidade para cerca de 95 km/h. A redução de quase 160 km/h neste curto tempo representa uma desaceleração de 1,6 G.

Este é o traçado mais rápido do calendário atual da Stock Car Pro Series. Em 2018, ainda na geração anterior de carros – com maior pressão aerodinâmica -, o português António Félix da Costa, correndo como convidado, estabeleceu o recorde de média de velocidade em uma volta com 204,674 km/h com o tempo de 47s402 estabelecido no terceiro treino livre daquela etapa.

No fim de semana, Band e SporTV transmitem as quatro corridas: no sábado (18), o SporTV transmite a classificação ao vivo às 10h30 e inicia a transmissão das provas às 13h10 enquanto a Band começa às 13h30. A largada da primeira corrida acontece às 13h40. No domingo (19), o canal por assinatura mostra ao vivo a classificação às 10 horas e retorna para as corridas a partir das 12h40, enquanto a Band inicia a transmissão da nona etapa às 13 horas - a largada acontece às 13h10. O canal oficial da Stock Car no YouTube transmite também ao vivo a classificação e as corridas nos dois dias, junto do MotorsportTV e do canal AutoVídeos no YouTube e Twitch.

A FRAS-LE e a FREMAX são as fornecedoras oficiais de pastilhas e discos de freio da categoria, respectivamente, e trabalham em conjunto com as todas as equipes do grid para assegurar o melhor desempenho, segurança, eficiência e confiabilidade. A Fremax é a fornecedora dos discos desde 2004 e a Fras-le, desde 2016.

Fala, piloto!

“A previsão é de temperaturas bem altas, e por si só o circuito de Goiânia já é bastante exigente com os freios, especialmente no traçado externo, porque os carros chegam em velocidades mais altas e com isso os freios já são mais exigidos. Por outro lado, as retas são longas e isso traz boa refrigeração para os freios. Entretanto, o calor que está fazendo beira o insuportável e deve ser assim no final de semana. Administrar a temperatura dos freios será essencial para um bom desempenho”.

(Guga Lima, Vogel/A.Mattheis, Chevrolet Cruze #9)

A pista de Goiânia na ótica da FRAS-LE & FREMAX

“O traçado tradicional de Goiânia já é desafiador por ser um dos que mais exigem dos freios. Temperatura é um fator que interfere muito na eficiência do conjunto, especialmente por se tratar de um circuito rápido. Com o circuito do anel externo este desafio fica ainda maior. São duas grandes retas, com velocidades finais maiores e frenagens mais intensas, que acabam exigindo ainda mais do sistema. No traçado externo os carros tendem a andar mais próximos uns dos outros nas corridas, o que interfere na refrigeração do freio; isso se torna um desafio não só no conjunto dos freios, mas também para motor e câmbio, que são levados ao extremo pelas altas temperaturas. Goiânia é um circuito que proporciona as situações mais extremas, que mais colocam à prova o sistema de freios: materiais de fricção, discos e pastilhas”.

(André Brezolin, engenheiro de projeto FRAS-LE & FREMAX)