Capa - Thiago Camilo chega em segundo por 0,01s na disputa mais eletrizante dos últimos tempos

Thiago Camilo chega em segundo por 0,01s na disputa mais eletrizante dos últimos tempos

19 set 2021

Com temperatura de 38 graus à sombra e mais de 60 graus no asfalto, a 9ª rodada da Stock Car disputada neste domingo no anel externo de 2695 metros do autódromo de Goiânia foi mais quente ainda dentro da pista. Na segunda corrida da rodada dupla, Thiago Camilo, que largou na frente por ter sido 10º colocado na corrida principal, protagonizou uma disputa feroz pela vitória com Gabriel Casagrande, Ricardo Zonta e Ricardo Maurício, cheia de trocas de liderança no final. Camilo entrou na última volta em terceiro, acionou o botão de ultrapassagem, aproveitou um erro de Zonta, passou Casagrande e trouxe consigo, na mesma estratégia, Ricardo Maurício, que começou a última volta em quarto. Os dois cruzaram a linha de chegada praticamente juntos. Ricardo Maurício venceu por um centésimo de segundo.

“Eu queria demais essa vitória após um fim de semana bem difícil, mas eu e a equipe demos o máximo e saio daqui bem mais contente que cheguei. A classificação foi complicada, larguei em 13º e conseguimos cumprir a meta de economizar o botão de ultrapassagem e terminar a primeira corrida entre os dez. Na segunda corrida eu tinha ritmo para me manter em primeiro, ali no fim, trocando pushes (acionamento do botão de ultrapassagem) com o Zonta e o Casagrande, deixei o último acionamento para a volta final, deu certo, mas o Ricardinho veio na mesma estratégia que eu e acabou emparelhando no finzinho”.

Cesar Ramos andou sempre perto do companheiro Ipiranga Racing até o pit stop da segunda corrida, quando a roda não traseira direita não foi aparafusada corretamente, foram perdidos segundos preciosos e o piloto do Toyota número 30 perdeu dez posições.

O domingo, contudo, começou mal para Cesinha. O vazamento que o tirou da segunda corrida de ontem voltou a aparecer logo no início do único treino livre, e a equipe teve que trocar de motor em duas horas para botar o carro na classificação.

“Eu não treinei, então indo direto para a classificação nessa configuração de anel externo é sempre mais complicado. Além disso com o motor novo não estava conseguindo sequer pegar o vácuo dos outros carros, ele não acompanhava.  Larguei em 15º, comecei a primeira corrida muito bem, me livrei dos acidentes e consegui me estabilizar em sétimo lugar a partir da metade da corrida. Nosso plano era economizar pneus e push e fazer uma boa combinação de pontos na segunda corrida. Largando em quarto, cheguei a andar em segundo, atrás apenas do Thiago, e entrei no pit stop nessa posição. Infelizmente um problema na troca do pneu me jogou para trás. Vamos em frente”.